Como os pais podem participar da vida escolar sem ser invasivos

É dever dos pais participar da vida escolar de seus herdeiros, sejam eles crianças ou adolescentes. Esta é uma postura que faz com que o estudante se sinta prestigiado à medida em que ele constata que suas atividades interessam ao restante da família.

Assim, mães e pais devem se mostrar dispostos a apoiá-los em todas as dificuldades, que eles possam vir a enfrentar.

Por outro lado, é recomendável certa cautela para não se exceder: interferência em demasia pode se converter em pressão desnecessária para o aluno e angariar a antipatia da equipe da escola. E você? Já conseguiu encontrar o ponto de equilíbrio nessa relação? Veja abaixo nossas sugestões.

1. Dedique um tempo para estudar com seu filho

A primeira dica é educar o estudante para que ele adquira o hábito de ter responsabilidade com as tarefas fora da escola. Conquistar esse objetivo se torna mais fácil quando os pais se mostram presentes. Assim, a criança se sente mais estimulada quando tem um momento “só dela” com os pais.

Crie uma rotina: ajude-os a fazer a lição de casa e, na medida do possível, tente solucionar suas dúvidas. Além disso, mostre-se aberto ao diálogo, sempre questionando sobre os acontecimentos do dia.

Em caso de filhos mais velhos, conceda-lhe certo grau de autonomia, até para se certificar qual o grau de interesse do adolescente pelos estudos.

2. Participe de atividades na escola

Uma das maneiras mais eficazes de demonstrar a sua preocupação com as atividades de seus filhos é participando ativamente delas.

Por mais que sua rotina seja excessivamente atribulada, e que as crianças fiquem sob o cuidado de uma babá ou algum outro familiar, é essencial que você organize sua agenda para participar da vida escolar.

Em outras palavras, não deixe de ir ao teatro de fim de ano, à festa da família ou à apresentação na feira de ciências. São nessas oportunidades que você pode conhecer melhor o ambiente da escola, os colegas do seu filho e a equipe de educadores.

3. Estabeleça uma relação de cumplicidade com professores

Pais excessivamente ausentes ou super protetores tendem a procurar responsáveis quando se deparam com alguma dificuldade escolar do filho. Assim, é natural que sejam culpadas a própria criança, a metodologia de ensino, entre outros.

Em uma situação adversa, bater de frente nunca é a melhor opção. Na contramão, o ideal é que pais e professores estabeleçam uma relação de cumplicidade. Por isso, mantenha um diálogo constante com a equipe de educadores e considere suas opiniões sem reservas.

Lembrem-se que os mestres passam várias horas do dia com os seus filhos e podem perceber primeiro quando há algum problema com a criança, seja ele de ordem física, emocional ou decorrente de um transtorno de aprendizagem.

Conforme o caso, é válido procurar uma orientação especializada ou contratar um serviço de reforço escolar. Via de regra, recomenda-se o bom senso: nem o excesso de zelo, nem o desleixo.

E você? Costuma participar da vida escolar dos seus filhos? Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter para obter sugestões de como ajuda-lo nesse período.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"