Castigo por notas ruins é a melhor solução? Entenda aqui!

Ao receberem o boletim dos filhos e constatarem o mau aproveitamento em uma ou mais disciplinas, a primeira providência de muitos pais é fixar um castigo por notas ruins.

Tomados por impulso, muitos acreditam que punir a criança ou o adolescente é a solução: por isso, tratam logo de restringir o acesso aos passatempos favoritos — como jogos eletrônicos — ou mesmo proibir uma brincadeira entre amigos. Em casos mais radicais, há os que partem para a agressão física.

Mas será que esta é mesmo a melhor solução? Na verdade, uma medida tão drástica pode surtir efeito contrário ao desejado e tornar mais grave o quadro. Neste post, nós separamos algumas dicas que podem ajudar a reverter a situação de modo mais eficaz.

Mantenha o diálogo

A primeira recomendação é evitar tomar qualquer atitude de cabeça quente ou influenciado pelo nervosismo, caso contrário, é grande a chance de você tomar uma atitude inadequada. Passado o impacto da má notícia, são grandes as chances de arrependimento.

Ao invés de esbravejar, gritar ou punir, mantenha a calma e demonstre apoio ao seu filho. Mostre que está disposto a ajudá-lo a reverter a situação, dando todas as condições necessárias para que ele alcance um bom desempenho.

Mas tudo começa com uma boa conversa: é importante que seu filho tenha em você um porto seguro, no qual se sente seguro para desabafar em situações adversas.

Identifique as causas do baixo desempenho

Um dos principais objetivos deste diálogo é identificar os fatores que prejudicam o desempenho: se você tiver paciência para ouvi-lo, poderá constatar que as notas baixas nem sempre estão relacionadas a falta de esforço ou descaso com as tarefas.

Várias podem ser as causas do problema: de um trauma emocional, passando por transtornos de aprendizagem até uma incompatibilidade com a metodologia adotada pela escola e, finalmente, um ambiente familiar desestruturado.

Nos casos mais graves é importante ter em mente que os resultados desejados podem não aparecer do dia para a noite. É preciso, sobretudo, paciência e destreza para reconhecer cada pequena conquista. E nada de castigo por notas ruins!

Aja em conjunto com a escola ou especialistas

Por fim, é importante que você alinhe suas ações às orientações fornecidas pela escola, equipe médica ou empresa responsável pelo serviço de reforço escolar. Conforme o caso, você pode acionar uma dessas instâncias isoladamente ou mesmo propor um trabalho conjunto entre elas.

Não há porque você enfrentar esse momento sozinho, tomando para si a inteira responsabilidade sobre essa situação. Por outro lado, tenha o bom senso de reconhecer a sua parcela de culpa, especialmente se você é muito ausente e não acompanha a rotina da criança.

Por fim, também é válido investir em estratégias que tornem o processo mais atrativo: use tablets e outros recursos tecnológicos. Você também pode traçar um paralelo entre os conteúdos aprendidos e o cotidiano da criança.

Chegando ao final deste texto, você já deve ter parado para respirar e percebido que castigo por notas ruins são de pouca valia. Compartilhe o seu depoimento caso já tenha vivenciado esta situação e deixe mais dicas que possam ser úteis para outros pais.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"